Seja bem-vindo ao Ana de Armas Brasil, sua primeira, maior e melhor fonte brasileira sobre a atriz Ana de Armas. Aqui você encontrará informações sobre seus projetos, campanhas e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos. Navegue no menu acima e divirta-se com todo o nosso conteúdo. Esperamos que goste e volte sempre!

Arquivo de 'el periodico'



postado por Ana de Armas Brasil

Leia a entrevista de Ana de Armas ao site espanhol El Periódico:

Ana de Armas (La Habana, Cuba, 1988) amadrinhou esta sexta o Alàbriga Hotel & Home, na praia de Sant Pol, em Sant Feliu de Guixols. Seis depois de alcançar a fama na série ‘El internado’ (Antena 3), a atriz, recém-separada de seu marido, o também ator Marc Clotet, foi para Hollywood testar a sorte, e agora, enquanto vê seu sonho americano se cumprindo, já protagonizou um total de seis filmes em três anos. O último é a esperada sequência do clássico dos anos 80 de Ridley Scott, ‘Blade Runner 2049’, que nesta ocasião será dirigida pelo canadense Denis Villeneuve, e que terá sua estreia em 4 de Outubro. Trabalhou junto a Harrison Ford, Ryan Gosling e Jared Leto.

Aos 14 anos estudou interpretação na Escola Nacional de Teatro de Cuba. Quais lembranças tem?
Foi uma época bonita. Descobri e me apaixonei pela profissão. Aprendi o que era trabalhar em equipe e a respeitar o teatro e a arte em geral.

Como foi sua infância em Cuba?
Me sentia muito livre. Tenho pais que confiam em mim e que não são nem um pouco super protetores nem possessivos. Sempre me deixaram escolher e isso me deu a tranquilidade de não decepcioná-los nem de me sentir julgada. Tive poucas coisas, minha família é muito humilde, mas fui muito feliz.

Viaja muito a Cuba?
Sempre que posso. Nunca é suficiente

O que resta daquela adolescente que alcançou o estrelato interpretando a Carolina em ‘El internado’ (Antena 3)?
Creio que não perdi a esperança. Em cada trabalho que começo, continuo nervosa e sinto as mesmas borboletas no estômago.

O que foi que levou você a fazer as malas e cruzar o oceano?
O mesmo que me fez deixar Cuba. A vontade de crescer e de encontrar projetos ambiciosos, no bom sentido da palavra.

Como foi sua chegada aos EUA?
Foi difícil. É um país difícil de digerir. Eu não falava inglês quando cheguei, fui completamente sozinha. É um processo duro, sobretudo em Los Angeles, que não é uma cidade como Nova Iorque que não para, com contato físico. Los Angeles está ilhada, mas, bem, é uma cidade que tem que dar tempo para entendê-la e gostar dela.

Mas valeu a pena. Foram três anos muito produtivos com seis filmes: ‘Knock Knock’ (2015), ‘Exposed’ (2016), ‘Hands of Stone’ (2016), ‘War Dogs’ (2016), ‘Overdrive’ (2017) e ‘Blade Runner 2049’ (2017).
Sim, a verdade é que não posso me queixar. Fiz seis filmes e agora começarei a filmar o sétimo, ‘Tres segundos’, dirigida por Andrea di Stefano. Em julho e agosto estarei filmando em Londres e Nova Iorque, e em setembro começarei a tour mundial de ‘Blade Runner’.

Você trabalhou com Robert de Niro em ‘Hands of stone’, a amizade continua?
Há muito carinho e respeito, nos damos muito bem. É uma pessoa normal, próxima, mas às vezes tímido e reservado.

E com Keanu Reeves?
Somos grandes amigos. Fizemos dois filmes juntos, mas, como não para, cada dia está em um país diferente. Tampouco nos vemos. Keanu é uma pessoa maravilhosa.

O que passou pela sua cabeça ao ser escolhida para ‘Blade Runner 2049’?
Apesar de tudo é difícil acreditar que filmei ‘Blade Runner’. É emocionante pelo o que significa fazer parte da história de um filme tão icônico, a continuação depois de 30 anos, e com um diretor como Denis Villeneuve e atores como Harrison Ford e Ryan Gosling. É incrível. Consegui o papel depois de três audições.

Como foi trabalhar junto ao seu ídolo de infância, Harrison Ford?
Era minha referência desde muito pequena, via todos os seus filmes. Foi surreal estar no set com ele.

E como foi trabalhar junto a Ryan Gosling e o resto do elenco, como Jared Leto, Robin Wright, Mackenzie Davis, Lennie James, Dave Bautista…?
Foi extraordinário trabalhar com Ryan, é muito bom companheiro. Tinhamos uma equipe incrível. Todo mundo estava muito entregue a este filme. Todos trabalhamos muito duro por cinco meses.

Fale de seu personagem em ‘Blade Runner’.
Não posso falar muito do filme. Meu personagem vai ser uma grande surpresa. É uma mulher forte, muito emocional e muito importante na vida do oficial K, o personagem de Ryan Gosling. É sua amante, sua amiga e a que o anima todos os dias quando sai de casa para trabalhar. É muito forte.

O que acha de algumas revistas que a consideram a sucessora de Penélope Cruz?
É um elogio muito grande. Penélope é uma atriz brilhante que fez trabalhos espetaculares. É muito talentosa. Se eu fosse como ela, estaria muito feliz. E que me comparem a ela me faz feliz.

Planeja voltar à Espanha?
Se eu conseguir um papel interessante, voltaria sem pensar, mas no momento não há planos para ir viver em lugar algum. Não gosto de planejar, porque depois nada sai como tem que sair.

Onde está a chave do seu sucesso?
Muita perseverança e sacrifício. Tento ser fiel a mim mesma e às minhas qualidade. Conhecer o melhor e o pior de mim, e defendê-lo. Estando em um mercado como o de Hollywood, onde há tanto talento, não posso me comparar com ninguém. Não posso fingir ser quem não sou. Aprendi a ser eu mesma, esse é meu caráter, meu sotaque, minha maneira de ver as coisas, as defendo e me seguro.

Fonte | Tradução – Larissa F.

dg dg dg dg

postado por Ana de Armas Brasil

Durante sua passagem pela Espanha, Ana concedeu uma entrevista ao site Diez Minutos. Leia o bate-papo traduzido:

Mesmo que seus companheiros de El Internado seguem a definindo como “a mesma de sempre”, a vida de Ana de Armas deu um giro radical desde que ela terminou a série de Antena/Canal 3. Morando em Los Angeles, a atriz acaba de filmar Blade Runner 2049, esperada sequência, e está pronta para embarcar em “Three Seconds”, junto com Clive Owen. Falamos com ela durante a inauguração do Alàbriga Hotel & Home Suites de Sant Feliu de Guíxols.

Como se sente sendo a madrinha de um lugar idílico?
Não conhecia muito o lugar e me lembrou muito de Cannes, tenho um sentimento de conhecer muito bem aqui. Hoje me banhei pela primeira vez em uma praia depois de um ano! Imagina minha alegria!

Muitas recordações de seu início ao voltar para a Espanha?
Sim, os lugares que fazem a gente. Foi na Espanha onde vivi muitos anos e minha carreira cresceu de repente e de uma maneira tão importante.

Elena Furiase disse que, mesmo que mais madura, segue sendo a mesma Anita de sempre. Como você evoluiu?
Por sorte, crescemos, mudamos e aprendemos com a vida, acredito que no fundo continuo sendo a mesma.

Que coisas te ajudaram a manter os pés na terra?
A família de sangue e os amigos. Eles são os únicos que me mantém em um bom lugar, tanto mentalmente quanto espiritualmente. São tuas raízes, as pessoas que te fazem te manter-se na terra.

Você é a única que teve mais êxito, diante de seus companheiros
Aparentemente eu tive um crescimento maior, mas acredito que isso é algo muito pessoal, é simplesmente outro tipo de carreira, de vida, mas acredito que eles cresceram muito como pessoas. Não se pode comparar, cada um elege seu caminho! Ter mais ou viajar mais não te faz mais feliz, te faz feliz fazer o que você quer. Eles estão fazendo o que querem fazer e estão muito bem. Muito felizes.

Como foi trabalhar com Ryan Gosling? Você foi uma das mulheres mais invejadas…
Serei quando o filme sair. Ele é um companheiro maravilhoso, muito inteligente e fez o trabalho tornar-se muito fácil.

Quando te ofereceram o papel em Blade Runner, você chorou de alegria?
Quem não choraria? Todos nós choramos. Quem não iria se emocionar quando te oferecem algo assim, participar de um dos filmes mais importante da história do cinema.

Como você se preparou para seu papel?
É tudo muito secreto, mas é muito importante na vida de Kay, o personagem de Ryan, é sua companheira que o anima todos os dias para que ele persiga seu sonho. Ela é muito valente, emocional e tem muita força.

Você terá mais ofertas de trabalho depois desse papel.
Sim, trabalho não me esta faltando. Agora, em uma semana, começo gravar Três Segundos com atores como o Clive Owen.

A nível profissional você está em um momento doce, e a nível pessoal?
Me sinto muito bem, estou onde quero estar como mulher, me sinto muito segura é muito cômoda. Eu não sinto falta de nada, me sinto muito forte e bem colocada mentalmente. Tudo está indo bem.

Você gostaria de ser mãe?
Sim, claro. Em algum momento, acredito que a longo prazo. Estou em um momento muito doce de minha carreira e com muito o que fazer. Estou conhecendo muita gente, com muitos novos projetos e aproveitando ao máximo. Ainda tenho tempo para ter filhos.

Você gosta da vida na Espanha?
Sim muito. As pessoas, a energia… Se vive muito bem por aqui.

Você planeja voltar?
No momento não, eu quero ficar em Los Angeles, mas sempre voltarei tanto para a Espanha quanto para a Cuba.

Como é viver em Los Angeles?
É bom, tem de tudo, não posso me queixar. Tenho sido acolhida muito bem.

Em qual lugar você se sente mais enraizada?
Em Cuba, sempre. É a minha casa, os primeiros muitos anos de minha vida.

Fonte | Tradução – Yasmim